Informação

Informação
São Miguel/RN

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Presa por tráfico de drogas no RN tem fotos atualizadas em rede social

Klébia Monteiro Anulino, de 28 anos, foi presa ano passado em Florânia. Mesmo detida em Natal, duas novos fotos foram postadas no Facebook.





A Coordenadoria de Administração Penitenciária do Rio Grande do Norte está apurando se a detenta Klébia Monteiro Anulino, de 28 anos – presa desde fevereiro do ano passado suspeita de integrar uma quadrilha de traficantes de drogas na região Seridó do Rio Grande do Norte – está fazendo uso de telefones celulares ou algum outro aparelho com conexão à internet, já que a página que a mulher mantém em uma rede social está sendo atualizada. No perfil de Klébia no Facebook foi constatado que duas novas fotos foram postadas no sábado passado, dia 1º: uma na capa, na qual ela aparece em meio a uma festa de aniversária, e outra no próprio perfil, na qual ela comenta: “Vivos somos traídos, presos somos esquecidos, mortos deixamos saudades”. Segundo Durval Oliveira Franco, coordenador da Coape, a presa encontra-se detida na Ala Feminina do Complexo Penal Dr. João Chaves, em Natal. “A direção da unidade já foi comunicada para que as medidas cabíveis sejam tomadas”, afirmou. Além da suspeita de tráfico de drogas, Klébia ainda responde a outros três processos na comarca de Florânia. Dois são por homicídio e um por desacato. Operação Coiteiros Klébia é natural de Florânia, cidade da região Seridó. Ela foi presa no dia 25 de fevereiro de 2014 durante a Operação Coiteiros, deflagrada pelo Ministério Público Estadual. A ação recebeu este nome em alusão aos indivíduos que dão asilo, favorecem ou protegem malfeitores. Durante o cumprimento dos mandados, onze pessoas foram detidas por envolvimento com o tráfico de drogas e duas por porte ilegal de arma de fogo. Entre os alvos da operação estão soldados e um sargento da PM, um agente penitenciário e empresários que atuam na região. Ainda segundo o MP, o grupo também é suspeito de formação de milícia privada, cuja pena pode chegar a oito anos de cadeia. Os mandados foram cumpridos nas cidades de Caicó, Jardim do Seridó, Jucurutu, Jardim de Piranhas, Tenente Laurentino Cruz e Florânia.

Anderson BarbosaDo G1 RN